Desempenho diagnóstico do Freelite® para detecção de Mieloma Múltiplo em uma população brasileira

Resumo: O diagnóstico do mieloma múltiplo continua sendo um desafio para os médicos devido aos sintomas não específicos (anemia, dor óssea e infecções recorrentes) que são comuns especialmente na população idosa. No entanto, o diagnóstico precoce está associado a uma doença menos grave, incluindo menos pacientes que apresentam lesão renal aguda, fraturas patológicas e anemia grave. Desde 2006, o teste de cadeia leve livre de soro Freelite® foi incluído juntamente com testes laboratoriais tradicionais (eletroforese de proteínas e imunofixação séricas e urinárias) como método auxiliar na identificação de proteínas monoclonais, que são a base para o diagnóstico de Mieloma. O ensaio da cadeia leve livre do soro reconhece a superfície exposta da imunoglobulina em sua forma livre com alta sensibilidade. Outros ensaios que medem cadeias leves nas formas de imunoglobulina livre e intacta são sensíveis, mas infelizmente, devido à nomenclatura utilizada, estes ensaios (cadeias leves totais) são por vezes utilizados no lugar do ensaio de cadeia leve livre. Além disso, nesse estudo avaliamos dados de 61 pacientes diagnosticados com Mieloma Múltiplo. O objetivo do mesmo é auxiliar na diferenciação deste dois ensaios e fornecer informações a médicos e técnicos de laboratório, para que possam utilizar as diretrizes do International Myeloma Working Group.


Abstract: The diagnosis of Multiple Myeloma is a challenge to the physician due to the non-specific symptoms (anemia, bone pain and recurrent infections) that are commonplace in the elderly population. However, early diagnosis is associated with less severe disease, including fewer patients presenting with acute renal injury, pathological fractures and severe anemia. Since 2006, the serum free light chain test Freelite® has been included alongside standard laboratory tests (serum and urine protein electrophoresis, and serum and urine immunofixation) as an aid in the identification of monoclonal proteins, which are a cornerstone for the diagnosis of Multiple Myeloma. The serum free light chain assay recognizes the light chain component of the immunoglobulin in its free form with high sensitivity. Other assays that measure light chains in the free and intact immunoglobulin forms are sensitive, but unfortunately, due to the nomenclature used, these assays (total light chains) are sometimes used in place of the free light chain assay. This paper reviews the available literature comparing the two assays and tries to clarify hypothetical limitations of the total assay to detect Multiple Myeloma. In addition, in this study we evaluated data from 61 patients diagnosed with Multiple Myeloma. The purpose of this study is to assist in the differentiation of these two tests and provide information to physicians and laboratory technicians so that they can use the guidelines of the International Myeloma Working Group.


Autores: Edvan de Queiroz Crusoe, Ana Lucia Peres, Fabiana Higashi, Priscila Cury, Ana Luiza Dias, Maria Rossato, Carolina Moraes Hungria, Marcia Desiato, Elyara Maria Soares e Vania T de Moraes Hungria


Contato: hungria@dialdata.com.br ; elyara.soares@bindingsite.com.br


Confira aqui o artigo na íntegra:

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu