fbpx

Analogias em medicina: Bico de pato

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Por José de Souza Andrade-Filho*


Bicos podem variar bastante em tamanho e forma de espécie para espécie. O bico é composto de uma mandíbula superior, chamado maxilar, e uma parte inferior, a mandíbula. Esta é feita de osso, normalmente oco ou poroso para manter o peso ideal para voar. A superfície exterior do bico é coberta por uma fina bainha de esporões córneos chamada ranfoteca.

O pato, palmípede muito conhecido, tem um bico largo e achatado e composto de maxilar superior e uma parte inferior, que é a mandíbula.

Um pato famoso é o Donald, personagem de desenhos animados e histórias em quadrinhos dos estúdios de Walt Disney, criado em 1934. Segundo os arquivos da Disney, o Pato Donald nem sempre foi tão ranzinza e viveu várias aventuras e situações engraçadas com a turma do Mickey, de 1934 até o momento em que os Estados Unidos entraram na Guerra, quando a empresa mudou um pouco seu discurso para apoiar o exército americano. Foi nesse período que o personagem se viu obrigado a partir para a linha de frente das batalhas.

Espéculo é instrumento destinado a dilatar a entrada de certas cavidades orgânicas, como a vagina e o reto, permitindo o exame de seu interior. Pode ser feito de metal ou de plástico. O espéculo vaginal é bivalvar e com formato  semelhante ao bico de pato. Ao exame ginecológico, o emprego do espéculo vaginal/bico-de-pato permite a visualização direta do colo uterino, permitindo também o exame colposcópico e a coleta de células e tecidos cervicais para análise (em inglês: duck-billed or duckbill speculum). Há também espéculos para a cavidade nasal, oral e auricular.

O médico americano James Marion Sims viveu no século XIX e ficou mundialmente conhecido como o primeiro ginecologista da história, sendo que alguns o consideram o pai da ginecologia.

Nascido em 1813 na Carolina do Sul, EUA, o Dr. Sims passou pela escola de medicina e se formou em sua terra natal. O destino fez com que mulheres que sofriam de doenças desencadeadas pelo parto o procurassem e ele passasse a se interessar pelo assunto. Casos de fístulas vésico-vaginais – que é quando surge uma ligação entre a bexiga e a vagina, geralmente causadas por um parto complicado – eram comuns e provocavam muito desconforto e dores. O conhecimento desses casos fez com que Sims se sentisse na obrigação de ajudar tais mulheres.

Para tratar suas pacientes, o médico desenvolveu um espéculo que consiste de um cilindro oco com extremidades arredondadas e que é dividido em duas partes tipo dobradiça, semelhante a um bico de pato. Assim era possível visualizar os órgãos femininos com mais facilidade. Criou também uma postura adequada para os exames. Porém, precisava de “cobaias” para desenvolver seus estudos e comprovar a eficiência de suas teorias e técnicas. Alguns relatos sugerem que o médico usou mulheres na condição de escravas para que pudesse realizar seus experimentos.

Entretanto, outras fontes relatam que o espéculo anal e vaginal já fora usado pelos antigos gregos e romanos e vistos em Pompéia, cidade italiana destruída pela erupção do vulcão Vesúvio no ano 79.


*José de Souza Andrade-Filho – Patologista no Hospital Felício Rocho-BH; membro da Academia Mineira de Medicina e Professor de Patologia da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais.

 

Confira a ultima edição da Newslab

Ginecologista orienta sobre a prevenção do câncer do colo do útero

Dia Mundial de Prevenção à doença reforça a necessidade do exame de diagnóstico em mulheres entre 25 e 64 anos O mês da mulher é

Leia mais

Cresce em 224% o número de casos de dengue no país

Os óbitos pela doença também aumentaram 67%, entre 30 de dezembro e 16 de março de 2019, em comparação ao mesmo período de 2018, sendo

Leia mais

Avaliação do Potencial das Formigas como Vetores Mecânicos de Bactéria em Ambiente Hospitalar

Artigo publicado originalmente na Newslab 112 Resumo As formigas estão intimamente ligadas ao ser humano e, apesar de algumas espécies não interferirem na economia humana,

Leia mais
Seções
Fechar Menu