Analogias em medicina: Bico de pato

Por José de Souza Andrade-Filho*


Bicos podem variar bastante em tamanho e forma de espécie para espécie. O bico é composto de uma mandíbula superior, chamado maxilar, e uma parte inferior, a mandíbula. Esta é feita de osso, normalmente oco ou poroso para manter o peso ideal para voar. A superfície exterior do bico é coberta por uma fina bainha de esporões córneos chamada ranfoteca.

O pato, palmípede muito conhecido, tem um bico largo e achatado e composto de maxilar superior e uma parte inferior, que é a mandíbula.

Um pato famoso é o Donald, personagem de desenhos animados e histórias em quadrinhos dos estúdios de Walt Disney, criado em 1934. Segundo os arquivos da Disney, o Pato Donald nem sempre foi tão ranzinza e viveu várias aventuras e situações engraçadas com a turma do Mickey, de 1934 até o momento em que os Estados Unidos entraram na Guerra, quando a empresa mudou um pouco seu discurso para apoiar o exército americano. Foi nesse período que o personagem se viu obrigado a partir para a linha de frente das batalhas.

Espéculo é instrumento destinado a dilatar a entrada de certas cavidades orgânicas, como a vagina e o reto, permitindo o exame de seu interior. Pode ser feito de metal ou de plástico. O espéculo vaginal é bivalvar e com formato  semelhante ao bico de pato. Ao exame ginecológico, o emprego do espéculo vaginal/bico-de-pato permite a visualização direta do colo uterino, permitindo também o exame colposcópico e a coleta de células e tecidos cervicais para análise (em inglês: duck-billed or duckbill speculum). Há também espéculos para a cavidade nasal, oral e auricular.

O médico americano James Marion Sims viveu no século XIX e ficou mundialmente conhecido como o primeiro ginecologista da história, sendo que alguns o consideram o pai da ginecologia.

Nascido em 1813 na Carolina do Sul, EUA, o Dr. Sims passou pela escola de medicina e se formou em sua terra natal. O destino fez com que mulheres que sofriam de doenças desencadeadas pelo parto o procurassem e ele passasse a se interessar pelo assunto. Casos de fístulas vésico-vaginais – que é quando surge uma ligação entre a bexiga e a vagina, geralmente causadas por um parto complicado – eram comuns e provocavam muito desconforto e dores. O conhecimento desses casos fez com que Sims se sentisse na obrigação de ajudar tais mulheres.

Para tratar suas pacientes, o médico desenvolveu um espéculo que consiste de um cilindro oco com extremidades arredondadas e que é dividido em duas partes tipo dobradiça, semelhante a um bico de pato. Assim era possível visualizar os órgãos femininos com mais facilidade. Criou também uma postura adequada para os exames. Porém, precisava de “cobaias” para desenvolver seus estudos e comprovar a eficiência de suas teorias e técnicas. Alguns relatos sugerem que o médico usou mulheres na condição de escravas para que pudesse realizar seus experimentos.

Entretanto, outras fontes relatam que o espéculo anal e vaginal já fora usado pelos antigos gregos e romanos e vistos em Pompéia, cidade italiana destruída pela erupção do vulcão Vesúvio no ano 79.


*José de Souza Andrade-Filho – Patologista no Hospital Felício Rocho-BH; membro da Academia Mineira de Medicina e Professor de Patologia da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais.

 

Confira a ultima edição da Newslab

Seções

Desenvolvido por Izy.Digital

Av. 9 de julho, 3229 – Sl. 412 – Jardim Paulista – São Paulo – SP | Telefone: (11) 3900-2390

Fechar Menu