fbpx

Analogias em medicina: Asas de borboleta

Por José de Souza Andrade-Filho*

A bo1rboleta é o símbolo de ligeireza e de inconstância. Por sua graça e ligeireza, a borboleta é, no Japão, um emblema da mulher; duas borboletas figuram a felicidade conjugal. Ligeireza sutil: As borboletas são espíritos viajantes; sua presença anuncia a visita ou a morte de uma pessoa próxima. Outro aspecto do simbolismo da borboleta se fundamenta nas suas metamorfoses: a crisálida é o ovo que contém a potencialidade do ser; a borboleta que sai dele é um símbolo de ressurreição.

Entre os astecas, era um símbolo da alma. Uma borboleta brincando entre flores representava a alma de um guerreiro caído nos campos de batalha. Os guerreiros mortos acompanhavam o Sol na primeira metade de seu curso visível, até o meio dia; em seguida, desciam de volta à Terra sob a forma de colibris ou de borboletas (baseado em Dicionário de Símbolos de Jean Chevalier e Alain Gheerbrant.12ª Ed. José Olympio Editora-1998). Para muitas pessoas, a borboleta é fonte de energia, liberdade, beleza e de auto-estima.

Por outro lado, em medicina, a borboleta é utilizada como analogia que se presta ao diagnóstico de algumas doenças:

  • Na pele, como é do conhecimento dos dermatologistas e de outros especialistas, o lúpus eritematoso crônico apresenta manchas ou placas avermelhadas na face, comprometendo principalmente as regiões zigomáticas e o dorso nasal, configurando imagem que lembra uma borboleta de asas abertas (fig. 1 e 2) (em inglês: butterfly rash). Contudo, o mesmo quadro clínico pode ocorrer em rosácea, dermatites diversas, inclusive alérgicas, alcoolismo, hipertireoidismo, crise hipertensiva, erupção solar etc.;
  • A paracoccidioidomicose (ou paracoco), micose profunda das mais importantes no Brasil, é causada pelo Paracoccidioides brasiliensis. A infecção ocorre pela inalação de conídios em poeiras, ambientes quentes e úmidos, com formação de foco primário no pulmão, muitas vezes assintomático, ocorrendo disseminação posterior. Em pacientes com grande resistência imunológica, as formas são localizadas, com reação granulomatosa e poucos parasitos. Nos demais casos, os parasitos são abundantes e os processos são predominantemente exsudativos. O diagnóstico é feito pela pesquisa do fungo nas lesões, secreções, biópsias, bem como em cultura. É também importante o estudo radiológico do tórax. O comprometimento pulmonar determina focos de condensação sobretudo nas regiões peri-hilares, bilaterais e simétricos, comparados a asa de borboleta pelos radiologistas;
  • A sarcoidose, doença multissistêmica de etiologia desconhecida, provoca uma inflamação granulomatosa nos tecidos, porém sem necrose caseosa. Os órgãos mais afetados são os pulmões e linfonodos mediastinais. A doença incide sobretudo em pessoas entre 20 e 40 anos de idade, podendo ser assintomática. Pode ainda comprometer outros órgãos como a laringe, pele, nariz e órgãos internos. O diagnóstico é clínico, radiológico e mediante biópsia. A linfadenopatia bilateral do hilo pulmonar, é também comparada a asa de borboleta aberta, que somada ao comprometimento do parênquima pulmonar, é vista em radiografia de tórax em cerca de 90% dos casos segundo alguns relatos e;
  • O glioblastoma, tumor de alto grau de malignidade do sistema nervoso central, geralmente restrito a um lobo cerebral, pode, contudo, atingir o hemisfério contralateral, infiltrando-se ao longo do corpo caloso, assemelhando-se, aos cortes radiológicos e macroscópicos, a borboleta de asas abertas.

Portanto, esse lindo inseto de asas multicoloridas, serve de pista diagnóstica para certas doenças, infelizmente algumas muito graves e de prognóstico sombrio.


*José de Souza Andrade-Filho – Patologista no Hospital Felício Rocho-BH; membro da Academia Mineira de Medicina e Professor de Patologia da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais.

 

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu