fbpx

SBPC/ML faz alerta para importância do teste de Hepatites

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

95% dos casos de hepatite C, mais comum entre a população mundial, têm cura, afirma a OMS

A Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML) reforça a importância da realização dos testes laboratoriais para detecção da hepatite e os cuidados para prevenir a doença não só no Dia Mundial de Combate às Hepatites, que é comemorado em 28 de julho, mas de forma recorrente. Isso porque a hepatite, principalmente a do tipo C, é comum entre a população, que em sua maioria não apresenta sintomas. Causada por um vírus que é transmitido pelo contato com sangue contaminado, a doença pode atacar o fígado e desencadear cirrose ou câncer.

As hepatites B e D são transmitidas principalmente por via sexual, uso de drogas endovenosas e por outras vias parenterais, como acupuntura, tatuagens e procedimentos cirúrgicos nos quais não sejam seguidos adequadamente os protocolos de descontaminação previstos. A hepatite C também é transmitida pelos mesmos mecanismos de infecção das hepatites B e D. “Para a hepatite C, pessoas que receberem transfusões de sangue ou fizeram cirurgias antes de 1993 tem um risco aumentado, pois não havia ainda triagem em bancos de sangue”, alerta João Renato Rebello Pinho, médico patologista clínico membro da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML).

As hepatites A e E (tipo raro no Brasil) são transmitidas por via fecal-oral, principalmente por alimentos contaminados não higienizados adequadamente. Uma outra via importante de contaminação da hepatite A é o por sexo oral-anal, esta via de contato está associada com o aumento de incidência desta doença entre homem que fazem sexo com homens (HSH) que foi recentemente notada em vários países do mundo, entre eles o Brasil.

A boa notícia é que a maioria dessas doenças tem cura. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 95% dos casos mundiais de hepatite C, em um período de três a seis meses de tratamento, têm cura. “Atualmente existem tratamentos antivirais altamente eficazes para as hepatites B e C, que frequentemente evoluem para a remissão da doença e mesmo a cura em muitos casos, em particular para a hepatite C. O tratamento evita que a doença evolua para formas crônicas graves, cirrose hepática e câncer de fígado”, sinaliza o patologista clínico membro da SBPC/ML.

Além de fazer o teste laboratorial, é fundamental tomar alguns cuidados para prevenir a doença. A SBPC/ML reforça alguns deles:

  • Existem vacinas para hepatites A e B, que já fazem parte do esquema vacinal brasileiro. Pessoas que não tomaram estas vacinas quando crianças (já que estas foram adicionadas no calendário vacinal há apenas alguns anos), devem receber vacinas específicas para evitar estas doenças;
  • Cuidados com relações sexuais devem ser adotadas, em especial o uso de preservativos para evitar a contaminação da hepatite A;
  • Profissionais da saúde, pessoas nascidas até a década de 60, que fizeram cirurgias até 1993 ou que tiveram mais de um parceiro sexual sem preservativo, devem fazer exames para hepatites B e C;
  • Pacientes vacinados contra a hepatite B estão também protegidos contra a hepatite Delta. A vacina contra a hepatite A é especialmente recomendada em pacientes que vão fazer viagens para regiões endêmicas, como é considerada grande parte do nosso país.

Para verificar a evolução da doença e seus tratamentos, hepatite será tema de discussão durante o 51º Congresso Brasileiro de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (51º CBPC/ML), que acontece entre os dias 26 e 29 de setembro, no Palácio das Convenções do Anhembi Parque, em São Paulo.


 

Confira a ultima edição da Newslab

Estudo identifica novas funções de molécula envolvida no melanoma

Novos testes em animais e em células de melanoma em cultura mostraram que uma molécula conhecida como RMEL3, presente na maioria dos casos desse tipo

Leia mais

Mestrado em sinalização celular na Unifesp com bolsa da FAPESP

Uma Bolsa de Mestrado da FAPESP está disponível no âmbito do projeto “Vias de sinalização de dano no DNA: mecanismos de regulação e integração com

Leia mais

Doutorado direto em metabolismo e bioenergética com bolsa da FAPESP

O Projeto Temático “Função e disfunção mitocondrial: implicações para o envelhecimento e doenças associadas”, coordenado pelo professor Aníbal Eugênio Vercesi, da Faculdade de Ciências Médicas da

Leia mais

Estudo mostra que tratamento para câncer colorretal metastático com mutação BRAF resulta em sobrevida global média de 15,3 meses

Os resultados foram anunciados pela Pierre Fabre e Array BioPharma e observados no safety lead in do estudo fase 3 BEACON com a combinação de encorafenibe, binimetinibe

Leia mais
Seções
Fechar Menu