fbpx

Janeiro verde: câncer de colo de útero é uma doença silenciosa; exame de medicina nuclear ajuda na detecção precoce

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Além do diagnóstico rápido, PET/CT também possibilita tratamento mais efetivo; Campanha Janeiro Verde tem como objetivo levar conscientização em relação a doença

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de colo de útero é o terceiro tumor mais frequente na população feminina, responsável pelo óbito de aproximadamente 230 mil pacientes por ano no Brasil. Outro dado preocupante é que, no Brasil, 77% das pacientes são diagnosticadas com a condição já em estágios avançados, quando aparecem determinados sintomas – como sangramentos e dores pélvicas.

Além do check-up ginecológico anual, para a detecção precoce da doença, a Medicina Nuclear é uma grande aliada, além disso a especialidade também auxilia no tratamento do câncer, uma vez que identifica a localização exata do tumor, o que permite determinar o melhor procedimento, seja quimioterapia, radioterapia ou cirurgia. O exame utilizado para o diagnóstico do câncer de colo de útero é o PET/CT (Tomografia por Emissão de Pósitrons e Tomografia Computadorizada).

De acordo com o médico nuclear e vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear, George Barberio Coura Filho – responsável clínico da Dimen SP (www.dimen.com.br), o PET/CT acompanha o funcionamento do corpo e das células e permite determinar se o câncer se disseminou para os linfonodos. Raramente é usado para pacientes com câncer do colo de útero em estágio inicial, mas pode ser usado para diagnosticar a doença mais avançada.

Como funciona o exame?

Uma análise do corpo inteiro é realizada com alta precisão graças ao equipamento PET/CT, tecnologia de diagnóstico por imagem mais sensível, que, com a administração de glicose por via venosa, possibilita a análise bioquímica do corpo, identificando células cancerígenas, muitas vezes, antes da manifestação visível e antes que ocorra a metástase.

Causas da doença

O câncer de colo do útero, também chamado de cervical, é causado pela incidência de HPV. Logo, a prevenção está relacionada à diminuição do risco de contágio pelo HPV, com a vacina e o uso de preservativos, além de fatores de risco como tabagismo e uso prolongado de pílulas anticoncepcionais.

Opções de tratamento

Uma vez detectada a existência câncer de colo de útero existem algumas opções de tratamento com quimio, radio e imunoterapia, além da cirurgia para retirada do tecido acometido pelo câncer. Na cirurgia também existe a opção de retirada do colo do útero e/ou do útero todo (histerectomia simples) e também a vagina e os linfonodos da região (histerectomia radical), dependendo do grau de evolução da doença.

Sobre a DIMEN

A DIMEN – referência em medicina nuclear no país, com mais de 37 anos de atuação – possui doze unidades no interior de São Paulo e Minas Gerais. No Brasil, é pioneira no uso de cirurgia radioguiada e na tecnologia PET-CT. A nova unidade na capital paulista está localizada na Av. Conselheiro Rodrigues Alves, 325, Vila Mariana. A DIMEN é a primeira clínica de Medicina Nuclear da América Latina a receber o certificado “QMentum International”, do Conselho Canadense de Acreditação de Serviços de Saúde (Canadian Council on Health Services Accreditation – CCHSA), com critérios internacionais de performance em qualidade e segurança, concedido a todas as unidades.

Confira a ultima edição da Newslab

Simpósio reúne especialistas internacionais para discutir o uso da medicina nuclear contra linfoma e mieloma múltiplo

Evento em Campinas (SP) aborda a aplicação da especialidade médica no diagnóstico e no tratamento dos cânceres No Brasil, segundo o Observatório de Câncer da

Leia mais

Pós-doutorado e treinamento técnico em biomateriais com bolsa da FAPESP

Duas oportunidades estão disponíveis em projeto do Instituto de Química da USP voltado ao desenvolvimento de estruturas 3D para aplicações biomédicas Uma vaga de pós-doutorado

Leia mais

Especialização em Biotecnologia da Unifesp está com inscrições abertas

A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) oferece 85 vagas para o curso de especialização em Biotecnologia, no campus da Baixada Santista, com início previsto

Leia mais

Ministério da Saúde faz campanha publicitária de alerta sobre tuberculose

O público-alvo são homens de 25 a 40 anos, população mais afetada pela doença. O tratamento precoce e sem interrupção é essencial para a cura

Leia mais
Seções
Fechar Menu