fbpx

Detecção da Hemoglobina Variante nos testes de Hemoglobina glicada | Newslab 144

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O teste de hemoglobina glicada (A1C) é utilizado principalmente para a avaliação do controle glicêmico em pacientes diabéticos. Trata-se de um recurso muito eficaz, capaz de medir as concentrações de glicose no sangue do paciente nos últimos 2 ou 3 meses. Para que um paciente seja diagnosticado com Diabetes, o nível de glicemia no sangue deve ser maior que 6,5%, enquanto que o nível normal (para não diabéticos) varia de 4% a 6%.

HG_BOX_1

Algumas condições clínicas e certos interferentes analíticos devem ser considerados quando o resultado da A1C não se correlacionar adequadamente com o estado clínico do paciente. As condições clínicas que interferem na meia vida das hemácias diminuem o poder diagnóstico da A1C em refletir os níveis pregressos de glicose, não se tratando de interferentes diretos sobre a metodologia utilizada.

Por essa razão, é importante que o médico leve em consideração a detecção das Hemoglobinas Variantes, pois ao contrário do que se pensa, esse fator interfere diretamente no resultado final da HbA1c.

HG_BOX_2

 

Devido ao alto índice de miscigenação no Brasil, a dispersão dos genes para as hemoglobinas variantes e para talassemias é alta. Isso significa que o fato de vários povos de diferentes etnias terem imigrado para o país resulta numa maior prevalência dessas doenças genéticas².


Detecção de hemoglobinas variantes | Cromatografia por troca iônica

Sabendo que estas variantes genéticas da hemoglobina podem interferir nos resultados da A1c, é aconselhável que sejam utilizados métodos que sejam capazes de detectar tais anormalidades inclusive para alertar ao médico desta condição clínica do paciente, pois em muitos casos a conduta terapêutica pode mudar.

A técnica de HPLC por Troca Iônica é utilizada como referência para todos os demais testes existentes no mercado e por isso é o método utilizado pelo DB Diagnósticos em 100% da rotina, que além de ser Gold Standard para este teste, consegue detectar as principais hemoglobinas variantes, sem que estas interfiram no resultado da A1c.


Referências

  1. Posicionamento Oficial SBD, SBPC-ML, SBEM e FENAD 2017/2018.  Atualização sobre hemoglobina glicada (A1c) para avaliação do controle glicêmico e para o diagnóstico do diabetes: aspectos clínicos e laboratoriais.
  2. NAOUM, 1982b; VIANA-BARACIOLI el al., 2001.

DB – Diagnósticos do Brasil

Tel.: (41)3299-3400

www.diagnosticosdobrasil.com.br

[email protected]


 

 

Confira a ultima edição da Newslab

Estudo mostra que tratamento para câncer colorretal metastático com mutação BRAF resulta em sobrevida global média de 15,3 meses

Os resultados foram anunciados pela Pierre Fabre e Array BioPharma e observados no safety lead in do estudo fase 3 BEACON com a combinação de encorafenibe, binimetinibe

Leia mais

As 7 principais dúvidas sobre a Meningite Meningocócica

A meningite meningocócica é uma doença infecciosa grave que pode matar. A doença esteve em pauta recentemente e isso fez com que houvesse um aumento

Leia mais

Alteração em célula de defesa torna obesos e diabéticos mais suscetíveis a infecções

Estudo da USP publicado na Scientific Reports mostra que os neutrófilos desses indivíduos são menos eficazes no reconhecimento de bactérias e morrem mais facilmente Indivíduos obesos e

Leia mais

Março Marinho: São Paulo representa um terço dos novos casos esperados de câncer colorretal no país

Com 4 mil novos casos por ano, apenas na capital, São Paulo é o Estado que registra a maior prevalência de câncer colorretal (intestino grosso

Leia mais
Seções
Fechar Menu