fbpx

Conheça os expositores do HEMO 2017

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Congresso acontece em Curitiba no início de novembro

Entre os dias 8 e 11 de novembro a cidade de Curitiba/PR será palco do terceiro maior congresso de hematologia do mundo: o HEMO 2017. Organizado pela Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH), o evento acontecerá no Expotrade Convention Center e tem a expectativa de reunir mais de cinco mil congressistas da área da saúde, entre médicos, pesquisadores, biomédicos, enfermeiros, farmacêuticos, odontólogos, residentes e estudantes.

Hematologia, hemoterapia, anemia, trombose, doenças onco-hematológicas, doação de sangue, transplante de medula óssea, novos medicamentos e tratamentos e armazenamento de sangue de cordão umbilical, entre outros temas, serão discutidos a partir de abordagem científica e atualização de novos conceitos.

As inscrições ainda podem ser realizadas no local, mediante a disponibilidade.


Confira abaixo um pouco de alguns dos expositores que estarão presentes:

  • ABRAPO: grupo de apoio a pessoas portadoras de porfirias no País. O trabalho torna possível a divulgação, educação, orientações, troca de informações e integração entre médicos e pacientes de diferentes regiões do Brasil. Em 2007 foi  iniciado um cadastro que conta hoje com mais de 500  pacientes. A ABRAPO vem trabalhando junto ao Governo pela política nacional de Doenças Raras, entre as quais as Porfirias se incluem.
  • Bio Transportes: empresa especializada no transporte nacional e internacional de amostra biológica, material perecível, correlatos, medicamentos e documentos. Também dispomos de uma grande variedade de embalagens e meios de refrigeração para que o seu transporte seja completo e seguro, garantindo assim a integridade do material. Nossa equipe é treinada para que seu material seja coletado e entregue ao destino de forma personalizada, com eficiência, preço justo e qualidade que somente a empresa Bio Transportes pode oferecer.
  • EMS: com mais de 50 anos de história, é considerada o maior laboratório farmacêutico no Brasil, líder de mercado há onze anos consecutivo e destaque do Grupo NC, um dos maiores conglomerados brasileiros. Em uma trajetória marcada pelo pioneirismo, o laboratório foi o primeiro a lançar os genéricos no País e a exportar medicamentos para a Europa. Possui cinco mil colaboradores e o maior portfólio nacional, com mais de 2,6 mil apresentações de produtos que atendem a praticamente todas as especialidades médicas. De cada 100 medicamentos comercializados no Brasil, 14 levam a marca EMS.
  • Grifols: estará presente demonstrando o seu compromisso com a inovação e liderança na Medicina Transfusional. Entre as principais contribuições nessa área serão: inauguração de uma nova fábrica de produção de bolsas de sangue em Campo Largo, região metropolitana de Curitiba, assim como a expansão de estrutura comercial, demonstrando o compromisso da Grifols com o Brasil. Haverá também a apresentação de um amplo portfólio de produtos desenvolvido para oferecer mais eficiência, segurança e qualidade à transfusão sanguínea, Além disso, será realizada uma introdução de uma nova geração de sistemas de automação para o gerenciamento do armazenamento do sangue e seus hemocomponentes.
  • LIAC: central sorológica sabe que a RDC é uma só, mas as necessidades dos serviços de hemoterapia são muitas e específicas.
  • Roche Farma Brasil: empresa global, pioneira em produtos farmacêuticos e de diagnóstico, dedicada a desenvolver avanços da ciência que melhorem a vida das pessoas. Combinando as forças das divisões Farmacêutica e Diagnóstica, a Roche se tornou líder em medicina personalizada – estratégia que visa encontrar o tratamento certo para cada paciente, da melhor forma possível. Durante o HEMO 2017, a Roche apresenta novas perspectivas para o tratamento de hemofilia A. Estudos clínicos demonstraram a diminuição de 87% na taxa anual de sangramento versus tratamento prévio com agentes de by-pass em pacientes com hemofilia A com inibidor.
  • Takeda: uma das 15 maiores farmacêuticas do mundo e a número 1 no Japão levará ao HEMO 2017 dois simpósios que discutirão questões importantes sobre as doenças linfoma de Hodgkin e mieloma múltiplo, além dos esforços da companhia na melhora do tratamento das duas enfermidades. No dia 9/11, entre 14h e 15h30, haverá o simpósio: “Terapia contínua para mieloma múltiplo na era dos novos agentes”, com o palestrante internacional Dr. Evangelos Terpos e Dra. Vania Hungria como moderadora. No dia seguinte (10/11), das 13h às 14h30, terá a participação do Dr. Otávio Baiocchi, Dra. Anna Sureda e do professor Nelson Spector, que discutirão os “Desafios atuais no tratamento do linfoma de Hodgkin”.

Serviço:

Congresso Brasileiro de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (HEMO)
Organização: Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH).
Data: 8 a 11 de novembro
Local: Expotrade Convention Center – Rodovia Deputado Leopoldo Jacomel, 10.454
Site: http://hemo.org.br/
Programação: http://hemo.org.br/program/programacao-cientifica.php?l=pt


 

Confira a ultima edição da Newslab

Mestrado em sinalização celular na Unifesp com bolsa da FAPESP

Uma Bolsa de Mestrado da FAPESP está disponível no âmbito do projeto “Vias de sinalização de dano no DNA: mecanismos de regulação e integração com

Leia mais

Doutorado direto em metabolismo e bioenergética com bolsa da FAPESP

O Projeto Temático “Função e disfunção mitocondrial: implicações para o envelhecimento e doenças associadas”, coordenado pelo professor Aníbal Eugênio Vercesi, da Faculdade de Ciências Médicas da

Leia mais

Estudo mostra que tratamento para câncer colorretal metastático com mutação BRAF resulta em sobrevida global média de 15,3 meses

Os resultados foram anunciados pela Pierre Fabre e Array BioPharma e observados no safety lead in do estudo fase 3 BEACON com a combinação de encorafenibe, binimetinibe

Leia mais

As 7 principais dúvidas sobre a Meningite Meningocócica

A meningite meningocócica é uma doença infecciosa grave que pode matar. A doença esteve em pauta recentemente e isso fez com que houvesse um aumento

Leia mais
Seções
Fechar Menu