AMH pelo ACCESS: único imunoensaio automatizado que utiliza antígeno humano recombinante

Biologia e Fisiologia do AMH

O hormônio antimülleriano (AMH) é uma glicoproteína que pertence à família do fator de crescimento transformador. O AMH regula a diferenciação sexual no embrião. A embriogênese das gônadas fetais começa durante a 4ª a 5ª semana de gestação. Durante a embriogênese, as células germinativas migram do saco vitelino para as gônadas indiferenciadas. Os ductos mullerianos formam as tubas uterinas, o útero e a parte superior da vagina, os ductos de Wolffian formam os ductos deferentes, epidídimo e vesículas seminais.

Dosagem do AMH

O AMH foi utilizado na avaliação da reserva ovariana, primariamente, para prever a resposta de uma mulher infértil à estimulação ovariana controlada.

Os níveis de AMH diminuem durante a vida reprodutora da mulher, o que reflete o declínio contínuo do reservatório de ovócitos/folículos com a idade e, consequentemente, o envelhecimento do ovário. Embora as concentrações de AMH sejam reduzidas com a idade, os estudos demonstraram que a variabilidade diária nas concentrações de AMH nas mulheres é baixa durante o ciclo menstrual.

O primeiro ensaio comercial de AMH foi lançado pela Beckman Coulter Immunotech, fabricada em Marselha, França, em 1999. Em 2004, a Diagnostic Systems Laboratories (DSL), localizada em Webster, Texas, lançou um ensaio de microplacas ELISA. Em 2005, a Beckman Coulter adquiriu o DSL e reformulou o kit de teste e lançou o ensaio AMH Gen II vendido globalmente. No terceiro trimestre de 2014 a Beckman Coulter lançou o teste automatizado de AMH.

Benefícios do antígeno humano recombinante AMH:

  • Resultados mais consistentes para médicos com menos potencial de variação lote a lote.
  • Maior conveniência para o laboratório com um calibrador mais estável. (90 dias a 2-10 °C e 60 dias congelado)

O imunoensaio AMH irá:

  • Entregar os resultados aos pacientes de forma rápida, por meio de exames automatizados, rápidos e precisos.
  • Apresentar resultados confiáveis, fornecidos pelo único imunoensaio automatizado de AMH a utilizar um antígeno recombinante humano
  • Reduzir os custos laboratoriais em 16% em relação aos exames manuais típicos para a avaliação da reserva ovariana.

Correlações dos métodos

O ensaio de AMH proporciona resultados compatíveis por meio da calibração para o ensaio AMH Gen II.* Em um estudo de comparação dos métodos, que utilizou 93 amostras de soro na variação crítica de 0,16 – 10 ng/mL (1,1 – 71 pmol/L), o ensaio automatizado de AMH pelo Access e o ensaio manual AMH Gen II apresentaram excelente correlação com valor de r de 0,99 e inclinação de 0,95.

As correlações dos métodos para os ensaios de ELISA em laboratórios individuais podem diferir com base em variáveis como tempos de incubação, técnica de pipetagem, temperatura, velocidade do agitador, lote do reagente, número e integridade das amostras testadas, etc.

 

Uma comparação de 121 valores ao longo da variação do ensaio, utilizando o ensaio de AMH no Sistema de Imunoensaio Access 2 e um kit de imunoensaio comercialmente disponível, forneceu os dados estatísticos a seguir por meio da regressão de Passing Bablok e a correlação de Spearman para o cálculo do r.

A Beckman Coulter oferece uma linha completa de ensaios, para atender às necessidades de avaliação dos  laboratórios, incluindo um amplo portfólio reprodutor.

  • AMH
  • DHEA-S
  • Estradiol Sensível
  • hFSH
  • hLH
  • Inibina A
  • Progesterona
  • Prolactina
  • SHBG
  • Testosterona
  • βhCG total (5o IS)
  • Estriol não conjugado

Exclusivo para uso em pesquisa (RUO)

  • Inibina B Gen II ELISA (RUO)
  • PAPP-A (RUO)

O perfil reprodutivo faz parte de um menu abrangente de ensaios, incluído nos sistemas de imunoensaio Access e UniCel. Conheça os novos testes de Troponina e Estradiol da Beckman Coulter! Para maiores informações, entre em contato através do e-mail: comunicacao@beckman.com.

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu