fbpx

Uso do Truvada® para reduzir os riscos da infecção do vírus HIV em adolescentes é aprovado pelo FDA, nos EUA

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Medicamento reduzirá o risco de adolescentes saudáveis adquirirem HIV

A Gilead Sciences anunciou recentemente a aprovação pelo US Food and Drug Administration (FDA) do uso do medicamento Truvada® (emtricitabina 200mg / tenofovir disoproxil fumarato 300 mg) – em conjunto com práticas sexuais seguras – para reduzir o risco do vírus HIV entre adolescentes. A segurança e eficácia do medicamento em adultos saudáveis ocorrem pelo desempenho da profilaxia pré-exposição (PrEP).

A indicação para adolescentes é baseada em um estudo feito com americanos, entre 15 e 17 anos que não possuem o vírus HIV. Nos Estados Unidos os adolescentes e jovens entre 13 e 24 anos representavam 21% dos todas as novas infecções em 2016, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, e 81% dessas infecções ocorreram entre homens jovens que fazem sexo com homens (HSH).

O uso do Truvada® na PrEP agora é indicado em conjunto com práticas sexuais seguras para reduzir o risco da contaminação de HIV em adultos e adolescentes, que pesam menos de 35 quilos e que estejam nos grupos de risco. Para iniciar o tratamento para a PrEp, os indivíduos devem realizar o teste de HIV e serem soronegativos.

“O estudo ATN113 mostrou que o uso do Truvada para PrEP é uma opção de prevenção bem aceita em adolescentes vulneráveis ao vírus” afirma Sybil Hosek, psicólogo clínico do Stroger Hospital, em Chicago, e líder da investigação do estudo. “Além das tradicionais estratégias de prevenção, os profissionais da saúde estão equipados com esse tratamento para diminuir a incidência do vírus HIV na população jovem em risco”.

A indicação do medicamento é baseada em um ensaio clínico aberto, conduzido pela Companhia de Pesquisas Adolescent Medicine Trials Network, uma rede de pesquisa financiada pelo Instituto Nacional Eunice Kennedy Shriver de Saúde Infantil e Desenvolvimento Humano (NICHD). No estudo ATN113, 67 homens que fazem sexo com homens de 15 a 17 anos fizeram uso do Truvada diariamente na PrEP. Negativos para o VIH-1, receberam Truvada uma vez por dia para a PrEP. A resposta do remédio foi semelhante ao rendimento das pesquisas feitas com adultos, nas quais os efeitos secundários mais frequentes foram dor de cabeça, dor abdominal e perda de peso.

A densidade mineral óssea (DMO) também foi monitorada e quatro voluntários apresentaram uma baixa em seus exames nas primeiras 48 semanas (três adolescentes tiveram um declínio relativamente baixo e um apresentou uma diminuição de 4% na taxa de DMO).

“Devemos fazer uso de todas as opções disponíveis quando consideramos estratégias de prevenção do HIV, e damos as boas-vindas ao desenvolvimento do Truvada para PrEP, agora disponível para jovens que estão em risco”, afirma Matthew Rose, Gerente de Política e Advocacia no NMAC. “Continuaremos a estimular o reconhecimento do papel do Truvada na PrEP como uma grande parte do plano de prevenção do vírus no qual todos saem ganhando, especialmente as comunidades mais afetadas pelo HIV, como os homens negros e latinos dos Estados Unidos”.

O Truvada para PrEP não substitui outros meios de proteção como o uso de preservativos. No entanto, quando feito corretamente e em conjunto com outras estratégias de prevenção, tem um grande potencial como agente redutor de novas infecções do vírus HIV. O remédio não deve ser usado em indivíduos soropositivos, uma vez que o Truvada sozinho não estabelece um regime eficaz para o tratamento de HIV. Além disso, foi provado que as mutações do vírus se fortaleceram em pessoas que não sabiam que eram portadoras da doença e começaram a tomar o Truvada. A eficácia do tratamento está diretamente ligada com o comprometimento dos pacientes, uma vez que o remédio deve ser tomado diariamente, e exames de Aids devem ser feitos a cada três meses.

“Ao expandir o número dos grupos que podem usar o Truvada como uma opção de prevenção demos mais um passo importante na redução das taxas de transmissão de HIV e aumentamos a qualidade da saúde pública no país”, afirma Andrew Cheng, diretor médico da Gilead Sciences. “A Gilead está comprometida em atender às necessidades da prevenção e do tratamento do vírus HIV e esperamos continuar esse trabalho com nossos parceiros de pesquisa e defesa”.

Além dos dados do estudo ATN113, o perfil de segurança e eficácia de Truvada para PrEP em adolescentes em risco com pelo menos 35 kg também é aprovado por estudos realizados com adultos, nos quais obtiveram dados adicionais de segurança e, também, estudos farmacocinéticos em ensaios anteriormente conduzidos com os medicamentos individuais, Emtriva® (emtricitabina) e Viread® (tenofovir disoproxil fumarato), em adultos infectados com VIH-1 e em doentes pediátricos.

O Truvada não previne outras doenças sexualmente transmissíveis e nem fornece a cura para HIV/Aids.

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu