fbpx

Novartis e Medicines for Malaria Venture iniciam testes clínicos na África para o KAF156, um novo composto contra a malária, doença resistente a diversos fármacos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
  • Composto tem potencial para ser decisivo na eliminação da doença, acabando rapidamente com a infecção, incluindo cepas resistentes e bloqueando a transmissão do parasita
  • O KAF156 é o primeiro composto de imidazolopiperazinas, uma nova classe de antimaláricos, para entrar em estudos de combinação de fase IIb
  • O estudo clínico começou no início de agosto em adultos com malária e está planejado para expandir para adolescentes e crianças em, no total, nove países da África e Ásia

A Novartis e a Medicines for Malaria Venture (MMV) iniciaram recentemente os testes clínicos em pacientes para o KAF156, um composto antimalárico da próxima geração com potencial para tratar cepas do parasita da malária que são resistentes a fármacos. O estudo testará a eficácia do KAF156 em combinação com uma formulação nova e melhorada da já existente lumefantrina antimalárica. O primeiro centro de avaliação está operando em Mali e será seguido, nos próximos meses, por dezesseis centros adicionais em um total de nove países na África e na Ásia.

“Este novo marco ressalta o compromisso de longa data da nossa empresa na luta contra a malária”, disse Vas Narasimhan, diretor global de desenvolvimento de medicamentos e diretor médico da Novartis. “Com quase metade da população mundial em risco, a malária continua sendo o maior desafio para a saúde pública. O desenvolvimento de novos medicamentos antimaláricos é fundamental para a eliminação da malária e a ciência inovadora continua sendo a nossa melhor arma contra a doença”.

O KAF156 pertence a uma nova classe de compostos antimaláricos chamados imidazolopiperazinas. Ele tem potencial para acabar com a infecção da malária, incluindo cepas resistentes, bem como para bloquear a transmissão do parasita da malária. Como demonstrado em um teste de prova de conceito de fase IIa, o composto é de ação rápida e potente em vários estágios do ciclo de vida do parasita, eliminando rapidamente os parasitas de P. falciparum e P. vivax.

Os antimaláricos da próxima geração são fundamentais para enfrentar o aumento da resistência parasitária às terapias atuais. O aparecimento de resistência à artemisinina e a muitos medicamentos parceiros foi relatado na Ásia¹ e a redução da sensibilidade à artemisinina também foi relatada esporadicamente na África².

O estudo de fase IIb avaliará várias combinações de dosagem e horários de dosagem de KAF156 e lumefantrina, incluindo a viabilidade de uma terapia de dose única em adultos, adolescentes e crianças. À medida que as crianças são as mais vulneráveis à malária, o objetivo é incluí-las no teste clínico o mais rápido possível, após a revisão de segurança dos dados gerados em adultos, potencializando assim o desenvolvimento de uma formulação pediátrica.

“Para prosperar sobre os avanços feitos contra a malária desde a virada do século, precisamos de novos medicamentos que sejam eficazes em todos os tipos de padrões de resistência e geografias e que sejam fáceis de administrar, especialmente para crianças”, disse o Dr. David Reddy, CEO da MMV. “Com os testes de fase IIb do KAF156 em andamento, a parceria entre a MMV e a Novartis está se aproximando da perspectiva emocionante de um medicamento tão novo que seria uma ferramenta poderosa para combater a doença”.

É importante testar novos candidatos a medicamentos nas circunstâncias em que eles serão usados. Conduzido em centros de última geração em toda a África e Ásia, o teste KAF156 é particularmente complexo, já que que várias combinações de dosagem e horários de dosagem estão sendo testados em paralelo em três faixas etárias diferentes.

“A malária é uma grande preocupação de saúde pública no Mali, especialmente para crianças. Assim, a necessidade de novos antimaláricos é urgente”, disse o Dr. Bakary Fofana, pesquisador envolvido nos testes clínicos no Malaria Research and Training Center, em Bougoula-Hameau (Mali). “Porque é um novo composto com potencial para tratar a malária, incluindo cepas resistentes aos antimaláricos atualmente utilizados. Estamos particularmente motivados para executar os testes para KAF156 com pacientes em nosso site no Mali”.

O KAF156 é o resultado de um programa de pesquisa conjunta entre Wellcome Trust, MMV e Singapore Economic Development Board, com apoio do Novartis Institute for Tropical Diseases, o Genomics Institute of the Novartis Research Foundation e o Instituto Suíço de Saúde Pública e Tropical.

A Novartis desenvolve o KAF156 com apoio científico e financeiro da MMV (em colaboração com a Fundação Bill & Melinda Gates).

A parceria entre a MMV e a Novartis é baseada em uma colaboração bem-sucedida de longa data para o desenvolvimento de medicamentos antimaláricos, o que levou ao lançamento da primeira terapia de combinação de artemisinina de alta qualidade para crianças, em 2009. Desde 2001, a Novartis entregou mais de 300 milhões de tratamentos pediátricos sem fins lucrativos para países com endemia de malária.


 

Confira a ultima edição da Newslab

Estudo identifica novas funções de molécula envolvida no melanoma

Novos testes em animais e em células de melanoma em cultura mostraram que uma molécula conhecida como RMEL3, presente na maioria dos casos desse tipo

Leia mais

Mestrado em sinalização celular na Unifesp com bolsa da FAPESP

Uma Bolsa de Mestrado da FAPESP está disponível no âmbito do projeto “Vias de sinalização de dano no DNA: mecanismos de regulação e integração com

Leia mais

Doutorado direto em metabolismo e bioenergética com bolsa da FAPESP

O Projeto Temático “Função e disfunção mitocondrial: implicações para o envelhecimento e doenças associadas”, coordenado pelo professor Aníbal Eugênio Vercesi, da Faculdade de Ciências Médicas da

Leia mais

Estudo mostra que tratamento para câncer colorretal metastático com mutação BRAF resulta em sobrevida global média de 15,3 meses

Os resultados foram anunciados pela Pierre Fabre e Array BioPharma e observados no safety lead in do estudo fase 3 BEACON com a combinação de encorafenibe, binimetinibe

Leia mais
Seções
Fechar Menu