fbpx

IMUNOCROM HBsAg: determinação qualitativa do vírus da Hepatite B

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Os testes rápidos imunocromatográficos utilizam anticorpos mono e policlonais imobilizados em membrana para identificação seletiva de HBsAg em amostras de soro e plasma humano. Os antígenos de superfície HBsAg presentes na amostra ligam-se no conjugado gamaglobulina-corante formando um complexo antígeno/anticorpo. Este flui pela área absorvente da placa-teste indo se ligar aos anticorpos anti-HBsAg na área da reação positiva (T), determinando o surgimento de uma banda colorida rosa-clara. Na ausência dos antígenos de superfície HBsAg não haverá o aparecimento da banda colorida na área T. A mistura da reação continua a fluir atingindo a área controle (C).

O conjugado não ligado ao antígeno une-se aos reagentes desta área produzindo uma banda colorida rosa-clara, demonstrando que os reagentes estão funcionando corretamente.imunocon

 

Linha IMUNOCROM:

  • IMUNOCROM HBsAg;
  • IMUNOCROM hCG;
  • IMUNOCROM HCV;
  • IMUNOCROM HIV;
  • IMUNOCROM Dengue;
  • IMUNOCROM Sangue Oculto;
  • IMUNOCROM Troponina.

 

 


Contato:
Tel. (31) 3507.0707

E-mail: [email protected]

Site: www.mbiolog.com.br


 

Confira a ultima edição da Newslab

Estudo identifica novas funções de molécula envolvida no melanoma

Novos testes em animais e em células de melanoma em cultura mostraram que uma molécula conhecida como RMEL3, presente na maioria dos casos desse tipo

Leia mais

Mestrado em sinalização celular na Unifesp com bolsa da FAPESP

Uma Bolsa de Mestrado da FAPESP está disponível no âmbito do projeto “Vias de sinalização de dano no DNA: mecanismos de regulação e integração com

Leia mais

Doutorado direto em metabolismo e bioenergética com bolsa da FAPESP

O Projeto Temático “Função e disfunção mitocondrial: implicações para o envelhecimento e doenças associadas”, coordenado pelo professor Aníbal Eugênio Vercesi, da Faculdade de Ciências Médicas da

Leia mais

Estudo mostra que tratamento para câncer colorretal metastático com mutação BRAF resulta em sobrevida global média de 15,3 meses

Os resultados foram anunciados pela Pierre Fabre e Array BioPharma e observados no safety lead in do estudo fase 3 BEACON com a combinação de encorafenibe, binimetinibe

Leia mais
Seções
Fechar Menu