fbpx

Higienização correta das mãos: uma medida simples que pode salvar vidas

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 45 mil brasileiros morrem anualmente em decorrência de infecções hospitalares, e a estimativa é que este número aumente caso não se invista em ações de prevenção. Um simples ato que pode fazer a diferença e salvar vidas é a higienização das mãos. Para chamar atenção para a causa, no dia 15 de maio, celebra-se o Dia de Combate à Infecção Hospitalar.

A data tem o objetivo de conscientizar profissionais da saúde, autoridades e população em geral. Atualmente, a infecção hospitalar é conhecida também como Infecção Relacionada à Assistência à Saúde (IRAS). De acordo com a diretora vice-presidente da Unimed Blumenau, Dra. Irene Wiggers, as IRAS podem ser contraídas em diversos ambientes, como hospitais, ambulatórios, atendimentos domiciliares, entre outros.

Dra. Irene afirma, no entanto, que o aparecimento das infecções depende de diversos fatores de risco. “A ocorrência das IRAS está ligada principalmente à condição clínica de cada paciente. Algumas pessoas possuem maior predisposição para contrair infecções do que outras, mas, ainda assim, é possível realizar ações que diminuem o risco de contágio”.

Dia de Combate à Infecção Hospitalar

Em celebração ao Dia de Combate à Infecção Hospitalar, no dia 15 de maio, a equipe de Serviço de Controle das Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde (SCIRAS) da Unimed Blumenau, visitará todos os setores da cooperativa. A ação será acompanhada pela conhecida personagem Morganella Morganii, uma bruxa representando a bactéria responsável pelas infecções. Na ocasião será entregue álcool gel para os colaboradores como forma de conscientização.

Além desta ação, a Unimed Blumenau realiza diariamente atos para a prevenção de IRAS. “O objetivo destas ações é prevenir as infecções e dar segurança aos pacientes e aos colaboradores, além de garantir que todos estejam bem informados sobre os cuidados a serem tomados. Com o simples ato de higienizar as mãos é possível salvar vidas”, informa a vice-presidente da Unimed Blumenau.

Prevenção

Para prevenir as IRAS, as principais recomendações envolvem hábitos e cuidados dos pacientes e dos profissionais de saúde, além dos protocolos internos dos serviços de saúde. Abaixo, a diretora vice-presidente da Unimed Blumenau, Dra. Irene Wiggers, lista cuidados necessários para evitar a contaminação:

  • As mãos são consideradas as principais vias de transmissão de microrganismos, por isso, a melhor medida de prevenção é lavá-las e higienizá-las com álcool. “Tanto o profissional como o paciente precisam estar atentos à higienização correta das mãos, com água, sabão e complementando com o uso do álcool gel, 70%. Esta é a maneira mais barata e eficaz de prevenir possíveis complicações infecciosas”.
  • Além do cuidado do profissional de saúde, visitantes também devem tomar algumas precauções, como não realizar visitas a pessoas enfermas quando também estiverem doentes, manter cabelos amarrados em visitas, não sentar no leito do paciente e evitar trazer alimentos ao hospital.
Confira a ultima edição da Newslab

Wolters Kluwer Health lança kit para auxiliar em crises de abstinência de opioides para pacientes superarem vício

Com mais de 130 pessoas morrendo de overdose de opioides todos os dias, os sistemas de saúde dos Estados Unidos estão implementando equipes multifuncionais para

Leia mais

Gigante mundial de diagnósticos, Quest Diagnostics, dá boas vindas a dois novos membros da Global Diagnostics Network

Com nove membros em todo o mundo, a GDN tem presença em países que cobrem dois terços da população mundial e mais de 90% do

Leia mais

Encontro dos Farmacêuticos Analistas Clínicos em SP: saiba mais sobre este importante evento

O evento Encontro dos Farmacêuticos Analistas Clínicos ocorrerá dia 27 de julho em São Paulo, tendo início as 8:30h e contará com um ciclo de atividades

Leia mais

Serion Brasil: desafios diagnósticos da Clostridium difficile e a Proteína GDH

A bactéria Clostridium difficile é a causa da diarreia infecciosa mais comumente reconhecida em ambientes de saúde. As estratégias de diagnóstico devem visar um resultado

Leia mais
Seções
Fechar Menu