Grupo Polar apresenta novo herói para combater a poliomielite e o sarampo

Seja um herói você também, juntos somos responsáveis pela imunização e proteção das nossas crianças

A campanha nacional de vacinação contra a poliomielite e o sarampo começou dia 6 de agosto, mas até agora a meta esperada não foi atingida. O baixo índice de cobertura vacinal é preocupante já que só há uma forma de prevenir a volta das doenças de circular no país e é manter a caderneta de vacinação atualizada.

Para reforçar esta batalha, o mascote do Grupo Polar se une ao Zé Gotinha, símbolo das campanhas contra a pólio desde os anos 80, para fortalecer a mobilização nacional.

Esta parceria pretende chamar a atenção dos pais que ainda não levaram seus filhos até uma unidade de saúde. O Grupo Polar preocupa-se para que as vacinas sejam conservadas na temperatura ideal para não perderem a sua eficácia.

Isto porque um levantamento da Organização Mundial da Saúde indica que 50% das vacinas em todo o mundo chegam sem condições de uso aos pacientes, devido a alguma deficiência crítica relativa ao controle e/ou monitoramento das temperaturas de armazenagem ou transporte.

Preocupada com esta causa, a Polar Técnica, maior empresa no segmento de elementos refrigerantes e soluções para transporte de medicamentos que faz parte do Grupo Polar, atua na conservação das vacinas que são sensíveis a variações de temperatura, como é o caso da pólio e o sarampo que devem ser conservadas entre 2ºC a 8ºC durante todo o tempo de armazenagem e transporte.

Esse processo de manter a temperatura ideal (conforme registro do produto) e evitar as excursões, desde o laboratório fabricante até o momento em que ela é aplicada é feito através da qualificação de embalagens térmicas.
Esta solução de qualificar as embalagens que transportam as vacinas deve ser feita de acordo com os parâmetros do “Guia para Qualificação de Transportes de Produtos Biológicos” da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de 2017; onde encontram-se os critérios determinados para os estudos.

O Laboratório Valida, do Grupo Polar, possui câmaras térmicas capazes de executar os testes em perfis de temperatura que vão de -10°C a 50°C, com equipe especializada e tornou-se referência para o assunto.
Além da qualificação dos sistemas de transporte, para garantir as propriedades da vacina, é importante que todos os equipamentos (freezer, câmara fria, geladeira, containers e etc) também sejam igualmente preparados. A manutenção deste status é garantida através de procedimentos implementados com base na configuração da embalagem térmica, processos e treinamentos.

“Uma vez que o produto não esteja em condições ideais de temperatura, seu efeito pode não ser alcançado. Então é parte da cadeia fria como um todo manter as vacinas em condições térmicas adequadas.” explica Liana Montemor, farmacêutica e Gerente de Desenvolvimento Estratégico em Cold Chain do Grupo Polar.

Prevenção

A mensagem é simples: Com a saúde não se brinca. Não espere a transmissão acontecer, pois ambas doenças não possuem tratamento específico e são consideradas graves. A lista de postos para vacinação está no site da Secretaria de Saúde de cada cidade, leve o seu filho de 1 a menores de 5 anos de idade até uma unidade mais próxima e faça parte deste exército de heróis.

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu