fbpx

Diagnóstico de intolerância à lactose não significa mais abrir mão de leite e derivados

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Estudo clínico comprova que o alimento funcional à base de lactase combate os desconfortos da intolerância e não apresenta efeitos indesejados

Sentir-se mal após as refeições ou mesmo depois daquele lanchinho da tarde que contenham produtos de base láctea pode indicar o desenvolvimento de algum quadro crônico. Quando sinais de algum desconforto gastrointestinal, como cólica, gases, diarreia e estufamento associados ao consumo anterior de leite e derivados, tornam-se corriqueiros e podem revelar o desenvolvimento de intolerância à lactose, um distúrbio mais comum do que se imagina.

Segundo pesquisa Datafolha “Conhecimento sobre a intolerância à lactose na população brasileira”, de julho de 2016, cerca de 53 milhões de pessoas no Brasil relatam ter alguma dificuldade digestiva depois do consumo de derivados do leite. Esse número representa 35% da população com mais de 16 anos e pode estar associada a perda da capacidade de produção de lactase, enzima responsável pela quebra do açúcar do leite, a lactose.

Essa perda da capacidade de produção da lactase chama-se hipolactasia e pode ser o gatilho para o desenvolvimento da intolerância à lactose. Em diferentes graus, a intolerância pode ser fruto do envelhecimento natural do organismo ou estar associada a um outro mal preexistente que desencadeia o desequilíbrio (Doença de Chron, Celíaca, Síndrome do Intestino Irritado e Supercrescimento Bacteriano) ou genética.

As pessoas que já foram diagnosticadas e têm o acompanhamento de um médico e um nutricionista, agora contam com um aliado a mais para combater os desconfortos da intolerância à lactose. O laboratório Eurofarma lança o Perlatte, a única enzima lactase nacional com estudo clínico comprovado de eficácia e com aprovação da ANVISA como alimento com alegação de propriedade funcional.

O Perlatte age na quebra do açúcar advindo do leite ou de seus derivados, permitindo a digestão da substância e, portanto, o não aparecimento dos sintomas. Além de ser o único a contar com estudo clínico comprovado e com aprovação da ANVISA, o Perlatte também é o um suplemento alimentar de enzima lactase no formato de comprimido, ou seja, pronto para o uso direto, sem necessidade de ser diluído em água, dissolvido ou misturado no preparo dos alimentos. Isto proporciona total praticidade e discrição, sendo um aliado importante para o paciente que sofre com os sintomas e com as restrições alimentares, impactando sua qualidade de vida e convívio social.

Nos organismos com deficiência de lactase não ocorre a quebra da lactose no intestino delgado. O açúcar permanece inalterado e segue para o intestino grosso, onde as bactérias o fermentam, liberando gases (Hidrogênio (H2)), e causando os sintomas. No estudo clínico, os pacientes que fizeram uso do Perlatte apresentaram menor excreção de Hidrogênio, ou seja, tiveram menor fermentação intestinal do que os comparados às pessoas que fizeram uso de outro suplemento, diminuindo o aparecimento dos desconfortos.

Diante disso, a Eurofarma realizou rigorosos testes para a comprovação da eficácia, a segurança e a superioridade de ação do Perlatte em relação aos seus concorrentes, com base no estudo “Administração oral de lactase exógena em comprimidos nos quadros de intolerância à lactose devido à hipolactasia primária”, realizado entre setembro de 2011 e janeiro de 2012. A pesquisa tem protocolo registrado na ClinicalTrial.gov, sob o número NCT01145586, uma base de dados de ensaios clínicos de pacientes humanos utilizada por entidades públicas e privadas de todo o mundo. O site é mantido por duas das principais instituições de saúde norte americanas: a National Library of Medicine (NLM) e o National Institutes of Health (NIH).


 

Confira a ultima edição da Newslab

Estudo mostra que tratamento para câncer colorretal metastático com mutação BRAF resulta em sobrevida global média de 15,3 meses

Os resultados foram anunciados pela Pierre Fabre e Array BioPharma e observados no safety lead in do estudo fase 3 BEACON com a combinação de encorafenibe, binimetinibe

Leia mais

As 7 principais dúvidas sobre a Meningite Meningocócica

A meningite meningocócica é uma doença infecciosa grave que pode matar. A doença esteve em pauta recentemente e isso fez com que houvesse um aumento

Leia mais

Alteração em célula de defesa torna obesos e diabéticos mais suscetíveis a infecções

Estudo da USP publicado na Scientific Reports mostra que os neutrófilos desses indivíduos são menos eficazes no reconhecimento de bactérias e morrem mais facilmente Indivíduos obesos e

Leia mais

Março Marinho: São Paulo representa um terço dos novos casos esperados de câncer colorretal no país

Com 4 mil novos casos por ano, apenas na capital, São Paulo é o Estado que registra a maior prevalência de câncer colorretal (intestino grosso

Leia mais
Seções
Fechar Menu