A tecnologia da informação e a prevenção de riscos na liberação de resultados

Os avanços do conhecimento e da tecnologia tornaram o ambiente laboratorial complexo. Com apoio do sistema de informação laboratorial (LIS), podem ser adotadas estratégias para a segurança na liberação de resultados, como os parâmetros a seguir.

Alertas de resultado absurdo – A configuração de limites nos equipamentos de automação e LIS pode bloquear a liberação e inserir alertas para resultados incoerentes, considerando a homeostase normal.

Alertas de resultado crítico – A configuração de limites críticos auxilia, principalmente, o processo de comunicação de resultados que necessitam de intervenção médica imediata.

Regras de correlação entre exames e outros dados – Podem assinalar possibilidade de incoerência entre resultados de exames relacionados ou dados do cliente (sexo, idade). Não sinalizam um resultado equivocado, mas levam à análise das etapas pré-analítica e analítica, inclusive de dados clínicos, para a liberação do laudo.

Verificações Delta ou Delta–checks – Cálculo da diferença entre os resultados atual e anterior(es). Se a diferença exceder um limite aceitável, o resultado deve ser revisto. A configuração do LIS pode bloquear resultados numéricos ou descritivos. É uma ferramenta útil, mas apenas para clientes com resultados prévios e testes específicos.

Verificação automática – Configuração de equipamentos de automação e sistema de interfaciamento (middleware) para a liberação segura de grande volume de resultados. Adequação aos valores de referência, limites definidos em consensos, de decisão clínica e variação biológica podem ser critérios para apoiar esta configuração.

A revisão dos exames na etapa pós-analítica é fundamental e a adoção de estratégias para liberação de resultados promove a segurança do processo e a prevenção de riscos.

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu