Exposição solar é necessária para a saúde, mas cuidados são essenciais para evitar o câncer de pele

Tomar sol de forma moderada e nos horários recomendados é importante para produção de vitamina D no organismo

A estação favorita dos brasileiros está chegando, e com ela chegam também os desejos e receios em relação aos raios solares, principalmente quando o assunto é câncer de pele. A doença é líder de incidência em todo o mundo. Só no Brasil, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), cerca de 170 mil novos casos do tipo não melanoma ocorrerão até o final de 2019, o mais comum dos canceres e o menos letal dentre os de pele. Apesar disso, o sol não pode ser visto como um vilão absoluto.

A vitamina D, que é produzida durante a exposição da pele ao sol, é essencial para a prevenção de problemas cardíacos, osteoporose, gripes e resfriados e até mesmo cânceres, portanto, fugir completamente do sol nem sempre é a melhor solução. “É importante identificarmos os grupos de risco antes de recomendações generalistas. Pessoas de pele clara, olhos e cabelos claros, estão muito mais sujeitas ao aparecimento dos carcinomas, uma vez que apresentam uma capacidade reduzida na produção de melanina (pigmentação da pele) no organismo, logo, terão que tomar mais cuidado com a exposição solar”, conta o Dr. Luiz Guilherme Martins Castro, dermatologista do Centro Especializado em Oncologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. “Já pessoas de pele negra estão muito menos suscetíveis a esse câncer. De qualquer forma, a exposição solar moderada é recomendada a todos”, completa o especialista.

Quando existe um histórico de carcinoma basocelular ou carcinoma espinocelular, as recomendações são outras. Por se tratar de um câncer majoritariamente causado pelo grau de dano acumulado ao longo do tempo, é bastante reincidente, portanto, é preciso tomar cuidado reforçado. Para evita-lo, recomenda-se utilizar roupas com proteção UV, chapéus, óculos de sol e, para exposições longas, como prática de esportes ao ar livre, dar preferência para horários antes ou depois da aparição do sol. Quanto ao tratamento, a terapia fotodinâmica, um método n cirúrgico tem sido a aposta para diminuir a necessidade de tratamentos mais agressivos cirúrgica na remoção de alguns tipos desse de câncer.

A terapia fotodinâmica consiste na aplicação de um medicamento em creme sobre o câncer e, após um período de três horas, a exposição dessa área à um feixe de luz que produzirá uma reação química e, assim, eliminará o câncer.

Melanoma

Quanto à um dos tipos mais graves de câncer de pele, responsável por 5% dos casos da doença, a relação com a exposição solar é muito menor. Grande parte dos casos de melanoma cutâneo aparecem em áreas ‘escondidas’ do corpo, como embaixo dos seios e na virilha, e mais de 50% deles têm causa desconhecida. Do restante identificável, a maior parte está relacionada à genética.

Em contrapartida à sua gravidade, as novidades dos últimos anos são otimistas. “Há algum tempo, o estágio avançado desse tipo de câncer era tido como uma sentença de morte, com taxa de sobrevivência muito próxima a 0%. Já com os novos tratamentos que surgiram nos últimos cinco anos, a média aumentou para 30%, o que é um grande avanço”, explica o especialista. Uma nova classe de medicamentos, como os imunoterápicos e os inibidores de checkpoint, são os responsáveis pelo avanço.

Raios UV e UVA

A radiação UVA penetra profundamente na pele e é a principal responsável pelo envelhecimento cutâneo. Sua intensidade varia pouco ao longo do dia, sendo intensa não somente em dias de sol, mas também com o céu nublado, por isso, é fundamental utilizar protetor solar diariamente. A radiação UVB, maior responsável pelo câncer de pele tipo carcinoma, é mais intensa durante o Verão, principalmente próximo ao meio dia. Já no início e no final dos dias da estação, a radiação é baixa e consequentemente mais segura.

Peles claras, que produzem menos melanina, estão suscetíveis a queimaduras causadas pelos raios UVA, e durante dias ensolarados a pele também recebe a radiação UVB, a mais perigosa. Durante o Verão, essas radiações estão mais presentes e a exposição aos Sol costuma ser maior.

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu