auditório durante palestra
Pesquisadora explica atuação da gordura saturada no hipotálamo

No caso da obesidade infantil, de acordo com Bruna, as pesquisas indicam que uma infância obesa aumenta em 30% chance do indivíduo se tornar um adulto obeso. A obesidade na adolescência aumenta em 50% essa chance. Um indivíduo que teve infância e adolescência obesas tem, portanto, 80% de chances de ser um adulto obeso. O grupo está investigando, agora, se esses dados são consequência apenas de hábitos alimentares, ou se os danos causados no hipotálamo da criança teriam um caráter mais definitivo do que na vida adulta. “O consumo de alimentos ultraprocessados é cada vez maior. Pesquisas recentes apontam que um terço das crianças abaixo de 2 anos consomem refrigerantes ou bebidas açucaradas cinco ou mais vezes por semana”, destacou Bombassaro.

A vilanização do carboidrato nos últimos anos também fio apontada por Bruna com o um dos responsáveis pelo aumento do consumo de gordura e consequente aumento dos níveis de obesidade da população mundial. Segundo ela, apesar de engordar se consumido em excesso, o carboidrato não é capaz de gerar a resposta inflamatória, desencadeada pela gordura saturada. “O carboidrato não é reconhecido pelo corpo como um dano, como um perigo. Ele não interfere na resposta aos sinais de saciedade”, afirmou Bruna.