fbpx

Diagnósticos clínicos e inteligência artificial: promovendo auxílio desde os primeiros momentos com o paciente

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

O mercado de assistentes virtuais e chatbots está em constante crescimento. Segundo relatório recente da Spiceworks, ainda neste ano, 40% das empresas de médio porte esperam implementar um ou mais assistentes inteligentes ou chatbots com Inteligência Artificial em seus dispositivos.

Antenada nas tendências, Pixeon, empresa líder em tecnologia para saúde no Brasil, apresentará durante a Hospitalar 2019, que acontece até sexta-feira, dia 24 de maio, no Expo Center Norte, seu protótipo e prova de conceito do projeto de Inteligência Artificial, aplicada aos diagnósticos clínicos.

A IA batizada de PICS (Pixeon Inteligência Clínica de Saúde), visa identificar em linguagem natural, texto ou voz, sintomas apresentados e identificar possíveis diagnósticos de doenças por probabilidade, sugerindo protocolos e prescrições padronizados compreendidos pelo processo de aprendizagem de máquina (Machine Learning).

A PICS está preparada para entender informações narradas considerando um contexto de consulta ao paciente, ou seja, ouvir e entender o discurso durante o processo da consulta, separando informações relevantes a respeito de sintomas e outras características clínicas relevantes.

“O projeto da PICS visa ensinar/construir na plataforma a capacidade de fazer diagnósticos, dar sugestões (insights) de protocolos, exames, enfim, a criação de um “consultor-assistente médico”, aos profissionais da área de saúde, destaca Armando Buchina, CEO da Pixeon.  

Levando em conta um cenário onde a experiência do profissional de saúde e as condições tanto do médico, quanto do paciente, são fatores de alta relevância para a qualidade do diagnóstico, a  PICS tem por objetivo auxiliar no processo de separação de doenças e/ou condições candidatas, considerando um evento comparado com dados históricos, tabelas de doenças internacionais, base de conhecimento próprio etc., potencializada pela utilização de aprendizado de máquina e de recursos de processamento de linguagem natural.

Ainda, de acordo com Buchina, falando no futuro do projeto, “um dos objetivos é ensinar a PICS por aproximadamente um ano para que tenha uma acurácia adequada e confiança em suas informações, já que o Machine Learning será realizado por especialidade médica”.

Conforme conta o executivo, a ideia de lançar o protótipo na Hospitalar é estratégica, pois o evento reúne renomados profissionais do mercado e clientes.

“Lançaremos o protótipo na Hospitalar para que nossos clientes e o mercado consigam identificar a potencialidade da plataforma ainda em tempo de aprendizagem, já que esse é o princípio básico de qualquer projeto de IA”, conclui o executivo.  

 

Mercado

Durante os próximos cinco anos, a empresa injetará R$ 83 milhões em todo seu portfólio de produtos visando inovações, melhorias de processos e funcionalidades, tudo pensado em aprimorar a jornada do paciente com suas soluções, desde a marcação de um exame a entrega do laudo.

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu