fbpx

Conheça os tipos de doenças renais crônicas e suas complicações

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

No Brasil, existem mais de 1,5* milhão de pacientes com complicações renais; entre as causas mais comuns estão o Diabetes Mellitus e a hipertensão arterial

Dificuldade para urinar, inchaço e até sangue no xixi podem ser sintomas de problemas renais. Segundo a Dra. Zita Britto, nefrologista do Centro de Rim e Diabetes do Hospital 9 de julho, a cada ano, 21 mil novos casos de doença nos rins são diagnosticados no Brasil. Caso não sejam tratados, podem se agravar e comprometer o funcionamento do órgão em definitivo.

Entre os problemas mais comuns nos rins estão os que levam à doenças renais crônicas (DRC) e que atingem 1,5 milhão de brasileiros, a maioria com Diabetes Mellitus ou hipertensão arterial. Há, porém, diferentes formas de lesões, que se dividem em:

  • Glomerulares: As doenças glomerulares alteram a filtragem do sangue e a produção de urina e devem ser diagnosticadas e tratadas precocemente para tentar evitar o agravamento da doença. Para um diagnóstico precoce, a Dra. Zita explica que o exame de urina e de sangue para a dosagem da creatinina  e ureia costumam ser os mais indicados. Os sintomas também podem ajudar no diagnóstico, porém alguns são tardios e podem comprometer o tratamento. “Alguns pacientes podem sentir cansaço, enjoo, inchaço e a falta de ar” explica a médica.
  • Tubulares: Os túbulos são responsáveis pela formação da urina com processo de reabsorção e secreção de eletrólitos, água e substâncias e controle da acidez no organismo. As lesões tubulares podem ocorrer agudamente por doenças que causam diminuição da chegada de sangue no rim, por medicamentos ou inflamações, com capacidade de recuperação ou crônicas com evolução lenta.
  • Endócrinas: Lesões ligadas a alterações endocrinológicas podem desenvolver casos de anemia e alterações nos ossos que acontecem devido a falta de produção de hormônios nos rins que estimulam a produção do sangue e controlam a vitamina D.

A Dra. Zita explica que essas lesões podem evoluir para a perda progressiva e irreversível da função dos rins. “As doenças renais podem evoluir para DRC se não cuidadas, principalmente associadas a outras questões metabólicas como o Diabetes e a hipertensão” explica a médica.

“Os diabéticos podem perder proteínas pela urina. Já o hipertenso tem os vasos sanguíneos danificados o que prejudica a filtragem do sangue pelos rins, um órgão muito vascularizado” esclarece a especialista.

Para prevenir e controlar os problemas renais, a Dr. Zita enumera o que é preciso fazer: ingestão de água regularmente, uma alimentação saudável, pobre em sal e embutidos e rica em verduras, legumes e frutas, não tomar medicamentos sem a orientação médica, além do check-up periódico podem ajudar a evitar ou identificar precocemente grande parte das doenças renais.

Sobre o Hospital 9 de Julho

Fundado em 1955, em São Paulo, o Hospital 9 de Julho tornou-se referência em medicina de alta complexidade com destaque para as áreas de Neurologia, Oncologia, Onco-hematologia, Gastroenterologia, Ortopedia, Urologia e Trauma. Possui um Centro de Medicina Especializa com atendimento em mais de 50 especialidades e 13 Centros de Referência: Centro de Dor e Neurocirurgia Funcional; Rim e Diabetes; Cálculo Renal; Cardiologia; Oncologia; Gastroenterologia; Controle de Peso, Infusão, Medicina do Exercício e do Esporte; Reabilitação; Clínica da Mulher; Longevidade e de Doenças Inflamatórias Intestinais (CDII).

Com cerca de 2,5 mil colaboradores e seis mil médicos cadastrados, o complexo hospitalar possui 470 leitos, sendo 91 leitos nas Unidades de Terapia Intensiva, Centro Cirúrgico com capacidade para até 22 cirurgias simultâneas, inclusive com duas salas híbridas (com equipamento de Hemodinâmica e Ressonância Magnética) e três para robótica, incluindo a Sala Inteligente, que permite a realização de cirurgias em sequência.


Fonte: Brazilian Journal of Nephrology 

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu