fbpx

Bactérias: está em suas mãos

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

As bactérias são essenciais para o funcionamento do organismo, mas também podem ser prejudiciais para a saúde

No ônibus, no carrinho de supermercado, caixa eletrônico, telefone, maçanetas de portas, alimentos. As bactérias e outros microorganismos como vírus e fungos estão em toda a parte. São invisíveis, sendo que alguns deles são muito resistentes e conseguem se adaptar facilmente ao ambiente.

De acordo com a infectologista do Hospital Nossa Senhora das Graças (HNSG), Dra. Viviane Maria de Carvalho Hessel Dias, as bactérias são importantes para a manutenção do equilíbrio de funções corporais, mas também podem causar infecções dependendo das condições de saúde da pessoa. “Além das bactérias, outros microrganismos como os vírus podem invadir o corpo e causar doenças como, por exemplo, o resfriado, gripe, conjuntivite, diarreia e hepatite A, as quais poderiam ser evitadas com o simples hábito da lavagem ou higiene de mãos”, destaca a médica.

Cuidados importantes

Algumas bactérias podem invadir o corpo e causar uma infecção, especialmente quando existem condições favoráveis como quebra das barreiras de proteção naturais do corpo e contaminação das mãos. Uma pessoa que possui o hábito de apertar uma espinha, por exemplo, pode fazer com que o Staphylococcus aureus, uma bactéria que comumente coloniza a pele, penetre nas camadas mais profundas causando uma infecção mais séria. “Para prevenir esta situação é importante higienizar as mãos e o local que será manuseado, orienta a médica.

A lavagem de mãos com água e sabão ou álcool deve ser um hábito diário. É indispensável higienizá-las antes de comer, beber ou simplesmente após pegar qualquer objeto enquanto estiver se alimentando. “O uso de água e sabonete é suficiente para os contatos sociais em geral e para a maioria das atividades práticas nos serviços de saúde”, orienta Dra. Viviane.

Já o álcool 70%, segundo a médica, é tão bom, ou até mais eficaz do que a utilização da água e sabão. Uma das vantagens é o tempo necessário para realização do procedimento, e também pelo fácil acesso em qualquer local. “Quando saímos de casa, uma dica é levar na bolsa um frasquinho com álcool, para situações que possam ser necessárias”, complementa a médica. Mas, fique atento, o álcool comum de cozinha vendido em supermercado não é 70% e por essa razão não é indicado para este propósito.

Com as crianças o cuidado deve ser ainda maior. Para evitar doenças respiratórias, os pais devem estar sempre orientando seus filhos para cobrirem a boca e o nariz ao tossir ou espirrar, e sempre que possível lavar as mãos em seguida. Outras dicas importantes para as crianças incluem a orientação para higiene das mãos após tocar nos animais de estimação e após brincar com a terra ou areia.

Em casa

Em casa, o banheiro e a cozinha, são os locais preferidos das bactérias. “Muitas doenças infecciosas são transmitidas pela via fecal-oral, por isso um dos cuidados básicos para qualquer pessoa é adquirir o hábito de higienizar as mãos imediatamente após utilizar o banheiro”, orienta a médica. Deve-se ter cuidado também após tocar em maçanetas e descargas, por exemplo. Ainda mais em banheiros públicos, onde o fluxo de pessoas é muito grande.

Na cozinha, a refrigeração de alimentos e a limpeza dos utensílios evitam a multiplicação de bactérias. “Um desinfetante comum e efetivo que pode ser usado em casa para limpeza é o hipoclorito”, recomenda a infectologista.

Já os alimentos devem ser consumidos no tempo adequado. É importante lavar bem legumes e folhas que serão ingeridos crus, bem como utilizar utensílios separados para o seu preparo. “Isso é ainda mais importante quando se trata de alimentos perecíveis abertos, pois quando abrimos, ocasionamos a exposição do alimento ao ar e consequentemente à maior contaminação bacteriana ou fúngica, o que pode estragar o alimento mais rapidamente”, afirma Dra. Viviane.

Confira a ultima edição da Newslab

Ginecologista orienta sobre a prevenção do câncer do colo do útero

Dia Mundial de Prevenção à doença reforça a necessidade do exame de diagnóstico em mulheres entre 25 e 64 anos O mês da mulher é

Leia mais

Cresce em 224% o número de casos de dengue no país

Os óbitos pela doença também aumentaram 67%, entre 30 de dezembro e 16 de março de 2019, em comparação ao mesmo período de 2018, sendo

Leia mais

Avaliação do Potencial das Formigas como Vetores Mecânicos de Bactéria em Ambiente Hospitalar

Artigo publicado originalmente na Newslab 112 Resumo As formigas estão intimamente ligadas ao ser humano e, apesar de algumas espécies não interferirem na economia humana,

Leia mais
Seções
Fechar Menu