fbpx

Interferentes nos testes laboratoriais

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Reconhecer o potencial e minimizar os riscos

Erros decorrentes de interferentes representam uma proporção muito pequena da taxa de erro global dos testes laboratoriais.

Entendendo o potencial de interferência e, tomando providências como, seguir de perto as Instruções de uso dos produtos, trabalhar com a educação médica e melhor comunicação aos pacientes podem minimizar os riscos.

Entendendo os Interferentes em Imunoensaios

Interferência é o efeito de uma substância presente em uma amostra que altera o valor correto de um resultado. O potencial de interferências afeta todos os testes laboratoriais, como também todos os fabricantes.

A frequência exata das interferências é desconhecida, embora os dados publicados possam fornecer mais informações.

Estudos para avaliar a prevalência de anticorpos heterofílicos demonstraram que a ocorrência pode ser baixa, como 0,05% até 40%, dependendo do tipo de ensaio e da população avaliada no estudo. Por exemplo, com a introdução dos modernos agentes bloqueadores em imunoensaios, a frequência de interferência clinicamente significativa é muito baixa, entre 0.03-0.05%.

Com o avanço da automação nos laboratórios e no melhor manejo das amostras, os erros relacionados à fase analítica atualmente ocorrem em menos de 0,078% dos testes laboratoriais. E, dentre esses, apenas uma pequena parte é devido à presença interferentes.

Para mais informações: https://biotinfacts.roche.com/

 

Referências

  1. Plebani M, Clin Chem Lab Med. 2006;44(6):750-9.
  2. Gulbahar O et al. J Clin Endocrinol Metab 2015;100:2147-53;
  3. Miller J. Clin Lab Int 2004; Apr:14-16
  4. Sturgeon CM & Viljoen A. Ann Clin Biochem 2011;48:418-32
  5. Tate & Ward Clin Biochem Rev 2004; 105-120
Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu