fbpx

Colecistite enfisematosa complicada por abscesso hepático

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Disponibilizado por Dr. Pixel*

Paciente masculino, 60 anos, chega ao pronto socorro com dor moderada no hipocôndrio direito e febre. Diabético, com insuficiência renal crônica e antecedente de enterectomia por isquemia mesentérica.

Realizada ultrassonografia abdominal complementada por tomografia computadorizada.

Ultrassonografia abdominal – vesícula biliar:  seta vermelha = imagens hiperecogênicas, com discreta atenuação das ondas de ultrassom (cálculos). Seta verdes= imagem linear ecogênicas associada a sombra e reverberação na topografia da parede da vesícula via biliar (sugestivo de gás).

Ultrassonografia abdominal – fígado:  seta azul = imagem hiperecogênica, com atenuação e reverberação das ondas de ultrassom no segmento VI hepático (achados sugestivos de gás). Setas verdes = imagens lineares ecogênicas na topografia da via biliar intra-hepática (achado sugestivo de presença gás na via biliar).

Tomografia computadorizada sem contraste (não foi utilizado o meio de contraste iodado devido à alteração da função renal do paciente) – reconstrução coronal. Conteúdo heterogêneo compatível com cálculos associado a áreas com atenuação gasosa.

Tomografia computadorizada sem contraste (não foi utilizado o meio de contraste iodado devido à alteração da função renal do paciente) – reconstrução coronal. Lesão hipoatenuante (setas azuis), medindo 7cm, com focos gasosos de permeio e na via biliar (setas verdes).

Hipóteses diagnósticas:

  • Colecictite enfisematosa
  • Abscesso hepático

Os achados de imagem foram confirmados por laparotomia, na qual foi realizada colecistectomia e drenagem do abscesso.


Sobre o Dr. Pixel

Disponível online desde dezembro de 2015, e atualmente com milhares de acessos por dia, o site Dr. Pixel (www.fcm.unicamp.br/drpixel) tem como objetivo o ensino e a atualização em diagnóstico por imagem. Suas aulas, discussões de casos e banco de imagens são destinados principalmente a estudantes da graduação em medicina, residentes e médicos especialistas ou não em diagnóstico por imagem.

O conteúdo do site é produzido no Hospital da Mulher “Prof. Dr. José Aristodemo Pinotti” – CAISM –Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, São Paulo, Brasil, com o apoio dos Departamentos de Tocoginecologia e Radiologia e pelo setor de Medicina Nuclear da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) -UNICAMP. A execução técnica é de responsabilidade do Núcleo de Tecnologia da Informação da FCM. Todo o conteúdo do Dr Pixel foi preparado a fim de assegurar o anonimato dos pacientes.

 

Confira a ultima edição da Newslab

Seções
Fechar Menu